PSOL pede a cassação de Eduardo Bolsonaro por atacar professores

Nesta segunda-feira, 10, a bancada do PSOL apresentou ao Conselho de Ética da Câmara uma representação contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

A iniciativa foi do próprio deputado federal Guilherme Boulos, após os ataques de Eduardo durante um ato pró-armamentista na tarde de ontem em Brasília. Na ocasião, o filho de Jair Bolsonaro comparou professores a traficantes de drogas enquanto criticava o Ministério da Justiça, comandado por Flavio Dino.

“Não tem diferença de um professor doutrinador para um traficante de drogas que tenta sequestrar os nossos filhos para o mundo do crime. Talvez o professor doutrinador seja pior”, disparou Eduardo.

Ainda durante a manifestação, o bolsonarista fez ataques contra a CPMI do Golpe. “Na CPI do 8 de janeiro, vi pró-armas recebendo um ataque e pessoas tentando vincular o pró-armas ao 8 de janeiro. Sabe o que isso significa? Que vocês estão fazendo um excelente trabalho”.

Na avaliação de Boulos, essa atitude de Eduardo é inadmissível. “É sintomático que essa declaração venha daqueles que passaram quatro anos destruindo a educação e combatendo o papel dos professores na sociedade brasileira”.

“Não podemos normalizar esse tipo de fala repugnante vinda da escória. Felizmente, para o azar do deputado e de todos os demais milicianos, hoje o Brasil tem governo – e não mais um bando de gângsteres passeando de motocicleta. Por isso, seguiremos trabalhando para valorizar os professores”, completou.

WhatsApp

Entre e receba notícias do dia.

Canal WhatsApp

Entre em nosso canal no WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR:

Comunicador e Jornalista formado pelo Centro Universitário do Maranhão.

DRT – 2083/MA

E-mail: sampaiowellyngton@gmail.com
Contato/ Whatsapp: (99) 98540-7358


Estamos no Instagram

Estamos no Facebook

Divulgue sua marca aqui

Publicidade

 

 

Publicidade