Menino de 12 anos mata colega de classe e fere dois com arma de fogo

Um menino de 12 anos morreu e outros dois ficaram gravemente feridos nesta terça-feira (2), quando um colega de classe abriu fogo em uma escola de ensino fundamental nos arredores da capital da Finlândia, Helsinque, informou a polícia.

“Hoje, pouco depois das 9h00 (3h00 no horário de Brasília), ocorreu um ataque a tiros em uma escola (…) no qual morreu um aluno da sexta série”, disse Ilkka Koskimaki, chefe de polícia da região, em coletiva de imprensa.

Ele acrescentou que outros dois menores ficaram “gravemente feridos”.

O ataque ocorreu em uma escola de ensino fundamental da cidade de Vantaa, que tem quase 800 alunos, divididos em dois estabelecimentos, com alunos dos 7 aos 15 anos, segundo o seu site.

A polícia chegou ao local logo após o ataque e o suspeito foi preso uma hora depois em Helsinque.

“A prisão foi efetuada com calma. O suspeito portava uma arma”, disse a polícia em seu site.

Um vídeo, divulgado pelo jornal Iltalehti e apresentado como o momento da prisão do suspeito, mostra dois policiais segurando uma pessoa deitada de bruços.

Os pais das crianças que frequentam a escola disseram à imprensa finlandesa que o ataque ocorreu em uma sala de aula e que eles falaram com os filhos ao telefone.

As crianças foram mantidas nas salas de aula e muitos pais seguiram para escola, onde foram atendidos pela polícia, segundo a emissora pública Yle.

Segundo a imprensa finlandesa, um gabinete de crise foi estabelecido com profissionais da área de educação e da prefeitura.

A ministra do Interior finlandesa, Mari Rantanen, afirmou na rede social X que o dia começou de “maneira terrível”.

“Só posso imaginar a dor e a preocupação que muitas famílias estão enfrentando neste momento”, acrescentou.

– Precedentes nos anos 2000 –

O país nórdico sofreu duas tragédias semelhantes no início dos anos 2000.

Em novembro de 2007, um jovem de 18 anos abriu fogo em uma escola de ensino médio em Jokela, 50 quilômetros ao norte de Helsinque, matando oito pessoas: o diretor, a enfermeira e seis alunos. O agressor cometeu suicídio após o ataque.

Um ano depois, em setembro de 2008, ocorreu um ataque a tiros em um centro de ensino profissionalizante em Kauhajoki (oeste), perpetrado por um jovem de 22 anos, no qual morreram 10 pessoas. O agressor também cometeu suicídio pouco depois.

Desde então, centenas de escolas foram ameaçadas por atos semelhantes, segundo o Journal of Scandinavian Studies in Criminology and Crime Prevention, que aponta as questões de saúde mental como a principal razão deste flagelo.

informações fornecidas pela Istoé

WhatsApp

Entre e receba notícias do dia.

Canal WhatsApp

Entre em nosso canal no WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR:

Comunicador e Jornalista formado pelo Centro Universitário do Maranhão.

DRT – 2083/MA

E-mail: sampaiowellyngton@gmail.com
Contato/ Whatsapp: (99) 98540-7358


Estamos no Instagram

Estamos no Facebook

Divulgue sua marca aqui

Publicidade

 

 

Publicidade