Justiça manda soltar avós envolvidos na morte de bebê durante ritual satânico no Piauí

A Justiça do Piauí concedeu liberdade aos avós paternos do bebê Weslley Carvalho Ferreira, de 1 ano e 8 meses, que teria sido assassinado em um ritual realizado pela própria família em dezembro do ano passado no município de Altos. Ao todo, sete pessoas, incluindo os avós e pais da criança, foram indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. O corpo da vítima nunca foi encontrado.

Para a soltura de Manoel José Xavier Pinto e Maria Lindalva de Carvalho, a Justiça  se baseou na inexistência de materialidade do crime e autoria por parte dos avós. A defesa alega que não há provas para essa versão que foi apresentada pela Polícia Civil.

O bebê Wesley Carvalho desapareceu em dezembro do ano passado e até agora os restos mortais não foram encontrados. A polícia trabalha com a hipótese de que a criança tenha sido queimada.

Ao longo das investigações, outros familiares também foram presos. Além dos avós, duas tias também foram soltas em junho.  Os pais da criança continuam presos, mas a defesa diz que eles podem ser soltos a qualquer momento por não haver indícios que tenha ocorrido um homicídio ou de que a criança tenha sido morta e queimada em um ritual.

Várias versões

A primeira versão da família acerca do desaparecimento do bebê era de que ele havia sido sequestrado no dia 29 de dezembro do ano passado na Praça da Bandeira, no Centro de Teresina. De acordo com a família, pai e mãe estavam sentados em um banco da praça com a criança quando dois homens armados chegaram e sequestraram o menino.  Somente em 09 de fevereiro de 2022 que foi registrado um boletim de ocorrência pelo desaparecimento do bebê. A DPCA passou investigar o caso e descartou a versão de que o menino havia sido sequestrado.

Uma segunda versão, surgiu e foi contada pela mãe de Wesley. A mãe relatou que o menino teria caído em um poço no local onde os pais moravam, no município de Altos, a 40 km de Teresina. Segundo a mulher, o marido e os sogros presenciaram o acidente. A hipótese foi investigada e também descartada.

Após a prisão dos pais, o pai de Wesley contou uma terceira versão, dizendo que o menino morreu por causas naturais e que ele tinha cremado o corpo do filho.

Polícia encontra indícios de um ritual

Durante os trabalhos da Polícia Civil, as equipes realizaram buscas na casa da família em Altos para tentar descobrir o que aconteceu com a criança. No terreno da casa foram encontradas diversas roupas jogadas no chão, que foram recolhidas pela polícia. A diligência ocorreu em um sítio no Povoado São Bento, Zona Rural de Altos.

A polícia acredita que Wesley Carvalho morreu ao ser sacrificado em um ritual praticado pela família. De acordo com o Delegado Geral da Polícia Civil do Piauí, Luccy Keiko Leal, a mãe teria dito à polícia que a criança morreu após ficar em jejum durante 15 dias. Segundo o depoimento, após a morte do bebê no ritual, a família decidiu cremar o corpo.

Fonte: Piauí Hoje

WhatsApp

Entre e receba notícias do dia.

Canal WhatsApp

Entre em nosso canal no WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR:

Comunicador e Jornalista formado pelo Centro Universitário do Maranhão.

DRT – 2083/MA

E-mail: sampaiowellyngton@gmail.com
Contato/ Whatsapp: (99) 98540-7358


Estamos no Instagram

Estamos no Facebook

Divulgue sua marca aqui

Publicidade

 

 

Publicidade